• Paula Lima

Casa de livros

Olá, leitoras e leitores do Blog, tudo bem?


Hoje vamos fazer algumas indicações de livros para ser lidos na primeira infância - mais especificamente, nas faixas etárias da Educação Infantil, de 2 a 6 anos. Lembramos que todos os textos do Blog trazem indicações de leitura, com seleções temáticas - fiquem à vontade para explorar ;)


Leia mais:

[Mães, filhos e livros: uma relação de amor]

[Personagens em quarentena: Sítio do Picapau Amarelo]

[Aqui estamos juntos]


Antes das dicas, vamos conversar sobre alguns aspectos importantes da leitura literária e sua relação com infância. Para começar, é preciso ter em conta que livros de qualidade são objetos de cultura, produzidos com uma linguagem especial, simbólica, trabalhada e pensada, que nos surpreende e nos faz repensar sentidos, termos e palavras de alguma maneira. Isso é a literatura - e ela tem características diferentes da função utilitária da língua, que usamos em outros contextos, para nos comunicar (caso dos jornais, das bulas de remédio, dos manuais, entre muitos outros exemplos).


A linguagem literária, por ser uma criação, produz mundos e contextos simbólicos, que não existem "de verdade", apenas na imaginação. A literatura, ainda que seja ancorada na realidade, não é a realidade - é ficção. Ou poesia - uma versão da linguagem literária que é ainda mais simbólica, mais especial, mais surpreendente e cheia de vida.


Atualmente, muitos livros para a infância também contam com ilustrações especiais, produzidas por ilustradores e artistas plásticos. As ilustrações ajudam a compor uma narrativa em conjunto com o texto literário, enriquecendo-o, expandindo-o, desafiando-o. Esses livros são chamados de livros-álbum. Então, ao ter contato com um livro infantil de qualidade, a criança tem acesso a um objeto de cultura riquíssimo, que pode ser considerado a primeira galeria de arte que ela "frequenta".


Além disso, é sempre importante ter em mente que as crianças são as leitoras mais honestas que existem: se não gostam de um livro ou não se sentem preparadas para ele de alguma maneira, elas simplesmente o deixam de lado. Nesse aspecto, não são como esponjas, mas como filtros.


No caso da maioria da Educação infantil, temos crianças que ainda não foram alfabetizadas, então, o que vai acontecer é a leitura compartilhada - quando um adulto que é leitor experiente conduz a narrativa em voz alta, fazendo a mediação e ajudando a criança a acessar todas as possibilidades e camadas narrativas. No caso do 1º ano, mesmo que as crianças já consigam decodificar a língua sozinhas, não terão toda a fluência para compreender completamente o texto e precisam de alguém para ler com elas.

Então, ainda que as indicações abaixo estejam divididas por faixa etária, essa "classificação" não é rígida - ela serve apenas como uma orientação, uma maneira de ajudar os pais. Assim, mesmo os livros que são indicados para os mais velhos podem ser lidos para os mais novinhos sem problemas, desde que os adultos queiram e os pequenos se interessem.


Na nossa live do dia 04/05, uma participante comentou que leu Harry Potter com uma criança de 5 anos: se ela curtir, tudo bem! Da mesma maneira, os alunos do Infantil 5 do Colégio já leram O mágico de Oz, de L. Frank Braum, e atualmente leem Mary Poppins, que são livros longos, de capítulos, indicados para leitores mais fluentes. Mas, como acontece uma leitura compartilhada com as professoras e as famílias, ele é adequado. Ao mesmo tempo, livros só de imagem, com pouco texto ou curtos não são necessariamente "fáceis": também podem ser muito profundos e emocionantes, mesmo para os adultos.


É importante lembrar que as crianças menores podem não entender completamente o sentido de tudo, mas entendem a emoção de quem lê e se beneficiam profundamente do carinho e do vínculo que se estabelecem entre ela e o adulto no momento da leitura.


Vamos aos livros agora? Se vocês tiverem dúvidas sobre esse assunto ou quiserem sugerir temas para discutirmos aqui, deixem comentários ou escrevam para paula.lima@colegiouirapuru.com.br.

  • 2 e 3 anos

Os bebês menores também podem curtir bastante estes livros, assim como crianças em fase de alfabetização, que conseguem ler os textos sozinhas :)


Presos

Oliver Jeffers, Editora Salamandra


A pipa de Felipe fica presa em uma árvore, e o menino vai tentar tirá-la de lá com a ajuda de um monte de objetos, animais e pessoas - será que ele consegue? Um livro divertidíssimo do autor Oliver Jeffers, que recentemente teve seu livro Aqui estamos nós transformado em animação - falamos disso aqui no Blog! E aqui embaixo, dá para ver o próprio Jeffers contando essa história (em inglês):


Adélia

Jean-Claude Alphen, Pulo do Gato


A Adélia é esta porquinha rosa que vocês veem no book trailer logo aqui embaixo. Além de ser uma fofura, ela adora ler e sempre acredita que está lendo a melhor história da vida dela. A história tem pouco texto e ilustrações lindas, que fazem a gente querer dar um abraço apertado na Adélia - e renderam ao autor franco-brasileiro um prêmio Jabuti em 2017.


Se eu abrir esta porta agora

Alexandre Rampazzo, Sesi-SP


Um livro incrível, que é sanfonado e interativo, traz uma importante alternância de perspectiva sobre o que nos espera atrás da porta: em uma das versões, temos uma visão mais amedrontada do que está do outro lado; a outra mostra um ponto de vista mais otimista. A porta se abre e se fecha à cada virada de página e os pequenos costumam adorar o suspense que se cria!

Quem quer brincar comigo?

Ivan Zigg, Abacatte Editorial


Este livro de texto rimado e envolvente conta a história de uma menina que gostava muito de ler e sempre recebia em casa as visitas mais estranhas. Os pequenos adoram a repetição e a acumulação e se divertem com as páginas que se desdobram e se tornam sempre um pouco maiores a cada animal que chega! A dica é que cada um deles parece ter saído de um conto que a menina lê - quem adivinha qual?



Muito cansado e bem acordado

Susanne Strasser, Companhia das Letrinhas


Da mesma autora e ilustradora de Bem lá no alto, que é lido pelas crianças do Infantil 2, este é outro livro acumulativo muito divertido sobre uma situação bem comum entre as crianças pequenas: a briga com o sono, mesmo que estejam muito cansadas! Os animais estão todos ajeitadinhos para dormir, mas, um a um, começam a invadir a cama da menina. Quem já viu essa história?


O grande rabanete

Tatiana Belinky, Moderna


Baseada num conto folclórico alemão sobre uma beterraba que cresceu demais, a história adaptada pela Tatiana Belinky ganhou ilustrações repaginadas da sorocabana Silvana Rando em 2017 e continua sendo um clássico acumulativo da infância: o Vovô plantou um rabanete que ficou muito grande e não havia meio de tirá-lo da terra. Ele chama a Vovó para ajudar, que chama a neta, que chama o cachorro...


Tudo muda

Anthony Browne, Pequena Zahar


Gregório começa a perceber algumas coisas estranhas em sua casa num dia em que nem o pai nem a mãe estão por lá. Objetos cotidianos parecem, do nada, ganhar vida nesta história fantástica sobre um menino que vai precisar encarar uma grande mudança na rotina da casa e da família. Como em outros livros de sua autoria, Anthony Browne espalha pelas páginas referências a obras de artistas consagrados, como Van Gogh. Vamos procurar?



O monstro das cores

Anna Llenas, Aletria


Já falamos algumas vezes deste querido aqui no Blog, mas vamos repetir porque adoramos: ele é ótimo para começar conversas com as crianças sobre emoções de forma lúdica e divertida. O simpático monstrinho sempre embola todos os seus sentimentos e fica sem saber o que fazer. Então, uma menina o ajuda a separar as emoções em potes de cores diferentes, e o monstro aprende a reconhecer cada uma delas e a guardá-las nos seus respectivos lugares.


Leia mais:

[Emoções na infância: vamos ler e conversar sobre isso?]


Balbúrdia

Tereza Cortez, V&R


A história deste livro da artista plástica portuguesa Tereza Cortez é narrada exclusivamente por meio de imagens: o quarto do menino tem brinquedos e um monte de outros objetos espalhados de maneira caótica por todos os cantos - socorro! Nesse caso, socorro mesmo, porque a bagunça vai se juntando até se transformar num monstro enorme com vida própria! Será que vai dar pra por ordem nesse caos? Como não tem texto, os adultos podem inventar a narrativa como quiserem e pedir ajuda às crianças. Assistam ao book trailer da edição portuguesa, lançada pela editora Pato Lógico:


Monstros!

De Alice Hoogstad, Amelí


Uma menina desenha com giz colorido nas ruas de uma cidade em preto e branco, e seus desenhos começam a ganhar vida: são monstros muito simpáticos que ganham vida e invadem o lugar! Os moradores olham atônitos para essa invasão peculiar, testemunhando também que a própria cidade passa a ter mais cor a partir da intervenção infantil. Outro título em que são as imagens que contam a história.

  • 4 e 5 anos


João Esperto leva o presente certo

De Candace Fleming, Editora Farol Literário


João foi convidado para a festa de 10 anos da princesa, mas não tinha dinheiro para comprar presente. Então, decide fazer um bolo, com morangos que ele mesmo colheu. O menino põe as velinhas e, muito satisfeito, adentra a floresta a caminho do castelo. Porém, incidentes e reviravoltas o esperam nessa jornada, e João chega à festa quase de mãos vazias. Na hora de cumprimentar a princesa, o pequeno herói conta toda a sua aventura até ali para explicar porque estava sem presente. Mas não é que uma boa história pode ser tão saborosa quanto um bolo - além do melhor presente que podemos dar para alguém?


Leia mais:

[Vamos falar (e ler!) sobre o que comemos?]



Rinocerontes não comem panquecas

Anna Kemp, Paz e Terra


Daisy nunca é ouvida por seus pais, não importa o que tenha a dizer. Eles estão sempre ocupados. Ou distraídos. Mesmo que o que ela tenha para contar seja algo absurdo como "um rinoceronte grande e roxo entrou na cozinha e comeu a minha panqueca no café da manhã", eles não prestam atenção. Como não consegue falar com os dois sobre o brutamontes sentadinho no sofá, a menina começa a conversar e brincar com o próprio rinoceronte, e os dois ficam muito amigos. Tudo vai bem, até o dia em que os pais de Daisy resolvem levá-la ao zoológico...



Leia mais:

[Como esconder um animal selvagem]


A menina que morava no chuveiro

Antonio Prata, Ubu


Lina é uma menina que ama tomar banho! Depois que entra, não quer mais sair - alguém aí conhece alguma criança assim? Pois é, certo dia, ela resolve que não vai sair e vai passar a morar no chuveiro! Com o bom-humor característico do Antonio Prata, o livro é divertidíssimo e vai render um monte de risadas pela maneira como o autor aborda os novos dilemas da família diante da escolha de Lina e, claro, dos conflitos dela mesma. Uma delícia de ler!



O muro no meio do livro

Jon Agee, Pequena Zahar


Bem no meio do livro, na parte que divide uma página da outra, tem um muro de tijolos. O narrador, um pequeno cavaleiro medieval, acredita que está seguro do lado de cá e que, do lado de lá do muro, há muitas ameaças: animais ferozes e um ogro mal-encarado, que com certeza o comeria se cruzasse com ele. Mas será que é isso mesmo? Deem uma olhada neste post do Blog sobre o livro e no book trailer:


Círculo|Triângulo|Quadrado

Mac Barnett, Salamandra


Estes três livros são tão lindos e inusitados quanto divertidos! Em Quadrado, o inseguro Quadrado fazia seu trabalho quando sua amiga Círculo passa flutuando por ele e faz uma encomenda para o "artista". Em Triângulo, o divertido Triângulo quer pregar uma peça no amigo Quadrado e acaba sendo alvo de outra. Por fim, os três amigos se encontram em Círculo para uma brincadeira desafiadora na cachoeira onde a Círculo mora. Prestem atenção às expressões dos personagens, que são muito simples e ao mesmo tempo muito expressivas!


Pêssego, pera, ameixa no pomar

De Allan e Janet Ahlberg , Salamandra


Da mesma dupla que criou O carteiro chegou!, este título também faz uma releitura dos contos clássicos, apresentando um segredo para o leitor encontrar em cada página do pomar - quer dizer, do livro! - uma brincadeira muito divertida com o olhar e as lindas ilustrações que têm a marca já conhecida da Janet Alhberg.


Adelaide

De Tomi Ungerer, Aletria


Uma canguru nasceu com um par de asas e resolveu se aventurar pelo mundo, pegando carona com um piloto de avião - até chegar a Paris! Lá, Adelaide faz um grande amigo, Monsieur Marius, que a ajuda em sua jornada até formar sua própria família de cangurus voadores. Um clássico delicado e divertido do renomado autor infantil Tomi Ungerer que a família toda vai adorar ler junta.



Olavo Holofote

De Leigh Hodgkinson, Companhia das Letrinhas


Este livro visualmente fabuloso tem como narrador um pavão exibidíssimo que quer que o livro seja exclusivamente sobre ele. Olavo Holofote vai ficando muito irritado com todos que resolvem invadir as suas páginas: o elefante é muito grande, o coelhinho, muito fofo, o passarinho é muito prestativo, o lobo só quer saber de contos de fadas, todo mundo tem algum problema, e é por isso que Olavo expulsa todos eles. E fica sozinho no livro. Será que ele vai gostar?



Chapeuzinho e o leão faminto

De Alex T. Smith, Editora Brinque-Book


Esta Chapeuzinho precisa levar uma cesta de coisas para sua tia, que acordou cheia de pintas. Ela vai pela savana afora e cruza com girafas, suricatos, gazelas, elefantes - além do tal do leão faminto, que tem um plano para devorá-la. Ele chega antes na casa da tia, esconde-a no guarda-roupa e põe uma camisola dela. Quando chega, Chapeuzinho, que não é boba nem nada, resolve dar uma lição no leão: faz um penteado lindo nele e escova bem seus dentes, que estavam meio podres. Divertido e colorido, este reconto traz a representatividade para o centro de uma das histórias mais conhecidas de todos os tempos. Assistam ao book trailer aqui:


Leia mais:

[Um amor de cabelo]

  • 6 anos


O carteiro encolheu

Allan e Janet Ahlberg, Companhia das Letrinhas


O carteiro mais amado do mundo volta nesta aventura que começa quando um chocalho gigante cai sobre sua cabeça: então, entre outros contos de fada, ele vai para o País das Maravilhas tomar um chá e acompanha a Dorothy pela estrada dos tijolinhos amarelos! O que será que aconteceu? Em meio a essa nova história, há mais cartinhas, bilhetes, mapas etc para ajudar a construir a narrativa - e deixá-la muito mais divertida, claro!



Contos de sacisas

De José R. Torero, Companhia das Letrinhas


Já falamos deste livro aqui, mas é tão legal que vale falar de novo: é uma mistura de folclore brasileiro com contos de fada tradicionais. Mas, em vez de moçoilas indefesas que perdem o sapato, as sacisas preferem andar descalças e acham o mocinho da história um chato de galocha. Elas também têm nomes incríveis, como Pererenzel e Sacinderela! Um sucesso.



Ah, nisso eu não tinha pensado!

De Ludovic Souliman, Editora Peirópolis


Este livro se passa em uma cidade cheia de prédios que estão cheios de pessoas que assistem à televisão. Espremida entre duas torres altíssimas, uma casinha destoa na paisagem urbana, e nela vive um senhor que é amigo de um grilo. E como é bom ter um bom amigo, né? Um conto acumulativo diferente e delicado, que tem como fio condutor a solidariedade e o amor entre personagens que precisam uns dos outros. Com ilustrações e colagens da Bruna de Assis Brasil.




Felizes quase sempre

Antonio Prata, Editora 34


Mais um título divertidíssimo do Antonio Prata, que com certeza vai fazer as crianças rirem muito! O autor conta a história de um príncipe e uma princesa a partir do primeiro dia em que foram felizes para sempre: acordaram só quando não estavam mais com sono, brincaram, comeram sobremesa na hora do almoço e não precisaram tomar banho. No segundo dia, foi a mesma festa! No terceiro também. Depois de muitos só fazendo o que gostavam e o que queriam, eles enjoaram daquela vida em que nada nunca dava nem um pouquinho errado. E aí, o que será que eles resolveram fazer?



Escrito e desenhado por Enriqueta

De Liniers, V&R


A menina Enriqueta ganha uma caixa de lápis de cor da mãe e resolve escrever e ilustrar a sua própria história em quadrinhos: sobre uma menina que descobre um mundo desconhecido dentro do seu guarda-roupa, com um monstro de três cabeças e dois chapéus. Mas é um monstro bonzinho! Um livro sobre a criação de um livro, sobre criatividade, sobre a imaginação, sobre a infância. Uma delícia.


Nunca acontece nada na minha rua

Ellen Raskin, Amelí


O Luís Rodolfo é um menino assim - meio mal-humorado, que diz que na rua dele nunca acontece nada de interessante ou emocionante. Sentado na calçada, está na cara que ele está muito entediado. Mas será que não tem nada acontecendo por ali mesmo? As crianças vão adorar encontrar os argumentos para contradizer o Luís Rodolfo nas ilustrações deste livro-álbum clássico da autora norte-americana Ellen Raskin.


Vozes no parque

Anthony Browne, Pequena Zahar


Este livro que nós adoramos tem pouco texto e ilustrações que dizem muito, cheias de surpresas e elementos inesperados, meio oníricos, meio fora de lugar - “escondidos” em meio a imagens mais cotidianas. Como o próprio autor já disse, há aspectos de jogo dos 7 erros que as crianças curtem muito. A narrativa é composta pela perspectiva de quatro personagens, que se entrelaçam para contar como foi um passeio pelo parque.



Ah, os lugares aonde você irá!

Dr. Seuss, Companhia das Letrinhas


Este clássico da literatura infantil mundial é para guardar para a vida toda! O protagonista começa sua aventura em uma cidade que fica pequena demais para ele e segue numa jornada de exploração lugares e autoconhecimento com o texto rimado apaixonante de Theodor Seuss Geisel, mais conhecido como Dr. Seuss - um dos principais escritores e ilustradores infantis dos Estados Unidos e do mundo, criador do famigerado Grinch (aquele que roubou o Natal) e do bagunceiro Gatola na Cartola. Ah, os lugares aonde você irá! foi seu último livro publicado em vida, em 1990, e mostra com muito bom-humor e otimismo os altos e baixos que encontramos vida afora, além de uns tantos meios-termos.

Livros em capítulos/de contos para leitura compartilhada:



A fantástica fábrica de chocolate

Roald Dahl, Martins Fontes


Este livro já foi adotado para o Infantil 5 do Colégio e narra a aventura de Charlie Bucket, um menino pobre que encontra um dos cinco bilhetes premiados para conhecer uma grande e misteriosa fábrica de chocolate. A história já virou filme duas vezes, com Gene Wilder e Johnny Depp no papel do excêntrico Willy Wonka.


Matilda

Roald Dahl, Martins Fontes


Outro sucesso de Roald Dahl que também foi adaptado para o cinema, este livro traz a história de uma menina muito inteligente e leitora voraz que tem um poder intrigante: o de mover as coisas com pensamento. A família de Matilda e a diretora de sua escola são pessoas que não ajudam, mas ela conta com o carinho da srta. Mel, sua querida primeira professora, e da bibliotecária do bairro.


Píppi Meialonga

De Astrid Lindgren, Companhia das Letrinhas


Já falamos bastante deste menina superpoderosa aqui e voltamos a recomendar. A Píppi é a menina mais forte do mundo, já viajou pelo mundo com seu pai, que é capitão de navio, vive sozinha com um macaquinho e um cavalo e usa um sapato de cada cor. Muito maluco? É um pouco mesmo, mas é muito legal!


Peter Pan

De J. M. Barrie, Zahar


A primeira edição desta história encantadora é do início do século 20 e até hoje ela une gerações em torno do menino que não queria crescer e suas aventuras na Terra do Nunca, com os irmãos Darling, os meninos perdidos, os piratas, Sininho, os índios e as sereias. É muito emocionante para ler com as crianças!


Os livros da selva - Contos de Mowgli e outras histórias

De Rudyard Kipling, Zahar


Outro clássico que já virou filme e foi lançado em versão comentada pela Zahar, este livro apresenta as histórias do filhote humano que foi criado na selva como um lobo e passa a correr perigo quando o tigre Shere Khan resolve persegui-lo por não confiar nos homens.


Mary Poppins

De P. L. Travers, Zahar


Este é mais um clássico que o Blog adora, também com versão para a telona, do qual também já falamos aqui. Para quem só viu o filme, o livro é bem diferente, mas envolvente e mágico do mesmo jeito, e conta a história dos quatro filhos da família Banks e sua nova babá: ela não dá explicações, sobe a escada deslizando pelo corrimão, conversa com os animais, parece se entender bem com o vento, é supervaidosa e vive admirando seu reflexo. Apesar de muito séria, mandona e meio mau humorada, Mary Poppins provoca, meio sem querer e meio de propósito, situações inusitadas e mágicas que mexem com a rotina das crianças.


Os 101 dálmatas

De Dodie Smith, Editora Sesi-SP


Esta famosa história é de 1956 e deu origem à animação da Disney de mesmo nome. Os dálmatas Pongo e Missis, da família Clemente, partem em uma jornada emocionante em busca de seus filhotinhos perdidos e desconfiam da terrível Cruella DeMonyo.


#isoladosejuntos #literaturainfantil #leitura