• Paula Lima

Daqui ninguém passa! Oi?

Um general autoritário resolve que quer entrar numa história toda vez que lhe der na telha. Para isso, interdita a página da direita de um livro para entrar ali sempre que quiser e deixa um guarda na fronteira entre as páginas para que ninguém passe de um lado para o outro.



Esse é um resumo rápido da história do livro Daqui ninguém passa!, lançado aqui no Brasil pela editora Sesi-SP. Da dupla portuguesa Isabel Minhós Martins (texto) e Bernardo P. Carvalho (ilustrações), o livro foi publicado originalmente pela incrível editora Planeta Tangerina, de Portugal, que tem um monte de publicações legais.


Como a história tem essa premissa meio maluca e bem-humorada, que faz uma brincadeira com o espaço físico e a materialidade do livro e cria uma conversa metalinguística (o livro que fala sobre ele mesmo), o título foi escolhido para mais uma sessão da nossa conversa literária com o primeiro ano.

Além de tudo isso, a história é toda construída por meio de diálogos entre os personagens, sem a presença de um narrador, o que marca uma diferença interessante em relação aos outros livros que já tínhamos lido. Na verdade, as falas - em pouco texto e dentro de balões - são de um grupo de pessoas que começam a se juntar na página esquerda e dão bem o tom de falatório e burburinho que acontece quando tem bastante gente num mesmo lugar - sabem como, né?



Por conta desse formato, em que vários personagens falam ao mesmo tempo, a história foi lida por três pessoas aqui do Espaço Cultural. Começamos a leitura pela contracapa, que explica qual é o contexto, e partimos para a primeira guarda, onde são apresentados todos os personagens, que, aos poucos, vão enchendo a página da esquerda do livro. As crianças adoraram ler junto os nomes dos personagens e reconhecer nomes de pessoas da família e dos amigos: Vivi, Isabel, Nuno, João, Vítor, Bernardo, Carol, Henrique, David, Cris, Luís, Mel, Rafael…


Também se divertiram procurando os personagens no meio da multidão que vai se aglomerando, indignada, na página esquerda, diante do guarda que não deixa ninguém passar para o lado direito. Ele permanece vazio, vazio: a famosa página em branco.


Bom, isso até que a bola que dois meninos jogavam acaba caindo na página da direita...



O guarda abre uma exceção e deixa os meninos passarem para pegar a bola, mas, na onda, outras pessoas também acabam passando… Em pouco tempo, todo mundo já tinha corrido para o lado direito, dando vivas para o guarda - e, nessa hora, todo mundo gritou junto com os personagens: “senhor Guarda, senhor Guarda!”.



Quando chega o general e ordena a prisão do Guarda por ter permitido a ocupação da página da direita, todos os personagens ficam revoltados e saem correndo, deixando-o sozinho, derrubado no chão. Vendo-se totalmente ignorado em sua autoridade vazia e arbitrária, o general critica a infantilidade da multidão, que deixa as páginas bagunçadas, e desdenha dos livros infantis, perguntando-se: "Afinal, quem é que quer ser o herói de um livro infantil?". Conhecem a fábula da raposa e das uvas, né?


Mas a melhor parte de todas foi quando passamos o vídeo do book teaser do livro (que vocês podem assistir no vídeo acima): a bibliotequinha virou uma festa e quase todas as salas dançaram muuuito e ainda pediram para assistir outra vez!



Foi muito divertido e várias crianças quiseram levar esse livro para casa na hora do empréstimo!

Livro: Daqui ninguém passa!

Autora: Isabel Minhós Martins

Ilustrador: Bernardo P. Carvalho

Editora: Sesi-SP

Páginas: 40

Ano: 2016

*Fotos e vídeo do Colégio: Lorena Bueno.