• Paula Lima

Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos

Atualizado: 25 de out. de 2019


Galera, as férias passaram rápido, hein? Vocês aproveitaram bem? Leram bastante coisa? Contem tudo pra gente aí nos comentários!

Bom, as aulas voltaram nesta semana e, com elas, o nosso blog também, cheio de coisas boas! Hoje nós temos muito assunto, porque é o Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos! Dia importante, diz aí? Tão importante que finalmente virou uma categoria do Prêmio Jabuti (o mais importante da literatura no Brasil) desde a edição do ano passado - o vencedor foi Castanha do Pará, de Gidalti Oliveira Moura Jr.

Para comemorar esse gênero que a gente adora, vamos contar um pouco sobre a origem da data. Tudo começou há muitos e muitos anos, no tempo do rei - quando o Brasil ainda era um Império. Em 1869, justamente no dia 30 de janeiro, Ângelo Agostini, um ilustrador italiano naturalizado brasileiro, começou a publicar na revista Vida fluminense sua primeira história sequencial, com personagem fixo e o enquadramento que marca as HQs - o que foi muito inovador para a época.

Os quadrinhos se chamavam As aventuras de Nhô Quim ou Impressões de uma viagem à corte e foram os primeiros lançados no Brasil. Ainda não havia os balões de fala nem as onomatopeias, como vocês podem ver nas imagens abaixo, mas a narrativa tinha fôlego e há quem considere que ela foi a primeira graphic novel de que se tem notícia!

O Nhô Quim que dá nome à história é um caipira que visita o Rio e fica assustado com aquela sociedade meio rural e meio urbana da capital do Império, sempre vivendo situações cômicas.

O trabalho do “pai brasileiro das HQs” foi muito importante para o desenvolvimento do papel político da caricatura e do cartum na imprensa nacional. Além disso, Ângelo Agostini também foi um dos fundadores da revista de histórias em quadrinhos mais importante do Brasil no século XX, O tico-tico. Por tudo isso que ele fez, o dia 30 janeiro é celebrado como o Dia Nacional das Histórias em Quadrinhos desde 1984!

Falando nisso, e voltando para o nosso século XXI, vocês já conhecem as graphic novels bem brasileiras da Turma da Mônica? As capas são essas aí de baixo:

Como vocês viram, a cara dos personagens está bem diferente das histórias tradicionais da turma, né? É que a ideia dessa coleção da editora Panini é justamente que cada livro seja ilustrado e escrito por outros artistas brasileiros, que dão a sua própria interpretação aos personagens do Maurício de Souza. A série começou em 2012 com Astronauta: Magnetar e é um sucesso. Também, pudera, as ilustrações são demais! Os volumes preferidos do blog são os dois do Bidu - Caminhos e Juntos. Neste ano, vêm mais quatro títulos por aí: Jeremias, Astronauta IV, Cebolinha e Horácio.

Aliás, o volume Turma da Mônica: Laços foi o que deu origem ao filme live action, com lançamento previsto para junho deste ano. Já tem até os atores, ó:

E Astronauta: Magnetar vem aí como uma série animada - vejam o teaser abaixo:


Pessoal, por hoje é isso! Quando a nova biblioteca for inaugurada, todas essas graphic novels vão estar disponíveis para vocês conhecerem ;)

Até semana que vem!

#HQs #históriasemquadrinhos #ÂngeloAgostini #PrêmioJabuti #graphicnovel #turmadaMônica #EnsinoMédio

81 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo