top of page
  • Dayan Marchini

Quanto tempo dura uma saudade?

Escrito com fluidez por Anderson Novello e ilustrado delicadamente por Elma (assim mesmo, sem sobrenome, como está na obra), “Carta para tia Tita” é um convite às recordações e ao refletir sobre o que realmente importa e ainda, sobre o que deixamos de enxergar quando não somos mais crianças.


“Porque o passado me traz uma lembrança
do tempo que eu era criança
e o medo era motivo de choro
desculpa pra um abraço ou um consolo”

É com “Poema”, composição de Cazuza e Frejat, que a obra se abre para a particularidade da memória de Novello, que inicia dizendo que por algum motivo incerto, sentiu saudade da gemada com erva-doce que a tia fazia quando ele ainda era criança. Por outra razão, que também não sabe exatamente, se pelo inverno, sente falta dos chás feitos durante anos e que serviam de calmante para as dores da família.


Desta forma, o autor narra como se costurasse os fios do tempo, tudo o que Tita foi para ele. A comida gostosa que acolhia, o cuidado com os sete sobrinhos que criou, o café que parece não ser igual no mundo, o brincar junto… Uma tia que também foi mãe, mesmo não tendo gerado filhos.


O livro, que é escrito em memória de Lídia Scorsim, foi inspirado na infância de Anderson Novello; cenário de brincadeiras na rua e nos quintais, onde sempre alguém da família o chamava com o aviso de que a janta estava pronta. Um resgate ao singelo e às vivências que, na vida adulta, se fazem compreendidas de maneira valiosa.


O menino que cresceu e se tornou professor, escritor e palestrante, gosta de viajar e mostra que, apesar da dor da ausência, cultiva uma memória bonita e que lhe serve de afago para aqueles dias mais difíceis e, ainda, para ser um homem de bem.


Anderson Novello - Ilustrações de Elma

Editora Cortez

40 p.



138 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page