top of page
  • Maysa Rocha

10 livros que te farão ver que cada criança é diferente e especial na sua forma.

Em comemoração ao Dia das Crianças, preparamos uma lista de livros infantis que nos fazem entender a infância. Esta seleção é uma celebração à criança, abrangendo obras que retratam a diversidade de experiências infantis em diferentes partes do mundo, com foco especial nas regiões do Brasil - as comunidades caiçaras, crianças das metrópoles e do sertão mineiro. Estes livros oferecem um olhar para as diferentes criações das crianças no mundo.


“A melhor maneira de tornar as crianças boas é torná-las felizes.” Oscar Wilde.

Os Meninos da Rua Paula, Ferenc Molnár.


O livro é ambientado na Hungria (cidade natal do autor) no início do século XX. A história gira em torno de um grupo de meninos que vivem na Rua Paulo. Os meninos disputam o "grund, uma área de terra em que eles podem brincar com uma turma rival, conhecida como "Os Vermelhos". A trama explora temas como amizade, lealdade, coragem e a importância de defender princípios e amigos.

“Tinha o espírito cheio de uma porção de pensamentos tristes que antes nunca lhe haviam ocorrido, perguntas sobre a vida e a morte, para as quais não conseguia encontrar resposta.”

As meninas e o poeta, Manuel Bandeira.


"As Meninas e o Poeta", um livro escrito pelo poeta e escritor brasileiro, não é uma obra de ficção, mas sim uma coletânea de poemas que refletem a sensibilidade do autor em relação à infância e à poesia. Cada menina tem a sua poesia aos olhos de Manuel Bandeira e com sensibilidade, ele destaca as doçuras de ser criança. A seleção de poemas foi feita por Elias José e a s ilustrações, por Maurício Negro.

“Marisa
Muita vezes a beira-mar
Sopra um fresco alento de brisa
Que vem do largo a suspirar…
Assim é o teu nome, Marisa,
Que Principia igual ao mar
e acaba mais suave que a brisa.”

Manual da Criança Caiçara, Marie Ange Bordas (e as crianças da Barra da ribeira).


O livro tem como foco principal as crianças da Barra da Ribeira, uma região caiçara no estado de São Paulo. A autora, que é francesa, viveu e trabalhou nessa comunidade e o livro reflete suas experiências e observações. O livro nos ensina a compreender a cultura caiçara e a vida das crianças que crescem nessa região costeira. O livro também mostra a conexão das crianças com o ambiente natural.

“Receita de repelente da vó Nanci: Misture vinagre, óleo, um pouquinho de álcool e algum cheirinho bom. o melhor é amassar citronela, mas se não tiver, pode ser perfume mesmo.”

O livro dos heróis, William J. Bennett e Michael Hague.


O livro apresenta uma coletânea de histórias inspiradoras sobre figuras históricas e lendárias que demonstraram coragem, virtude e valores ao longo da história da humanidade. Esses heróis são retratados como modelos de conduta e exemplos a serem seguidos.

“Para você que ama os feitos dos heróis
Num conto de inverno ou sonho de verão
A guerreiros, santos e soberanos dou voz,
Em sedas jutas e armaduras que brilham.
Vestindo elmos de ferro.”

A Invenção de Hugo Cabret , Brian Selznick.


O livro nos conta a história de Hugo Cabret, um órfão que vive nos corredores de uma estação de trem em Paris. A história se desenrola quando Hugo conhece Isabelle, uma garota que o ajuda a descobrir segredos sobre o passado de Hugo e seu envolvimento com o cineasta Georges Méliès. O livro fala sobre a história do cinema e de temas como a busca pela identidade por Hugo. Este livro faz parte do projeto pedagógico do sexto ano e recentemente, foi tema de apresentação Festival das Letras.

“Gosto de imaginar que o mundo é uma grande máquina. Você sabe, máquinas nunca têm partes extras. Elas têm o número e tipo exato das partes que precisam. Então imagino que se o mundo é uma grande máquina, eu também estou nele por algum motivo.”

Memórias Inventadas, Manoel de Barros.


"Memórias Inventadas" apresenta a vida do autor dividida em três partes em forma de poesia. Ele explora a riqueza de ser criança e a imaginação delas, da forma que apenas ele sabe fazer: com uma poética doce e com cheiro de infância.

“Que a importância de uma coisa há de ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós.”

Menino do Mato, Manoel de Barros.


"Menino do Mato" é um livro que explora a infância, centrando-se na vida diária de um menino que cresce em contato direto com a natureza. O autor, que passou a maior parte de sua vida no Pantanal, uma região do Centro-Oeste do Brasil que se estende pelos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, utiliza esse cenário como pano de fundo para a narrativa. O livro destaca a relação íntima entre a criança e o ambiente natural, oferecendo uma visão única dessa fase da vida em sintonia com a natureza.

“Nosso conhecimento não era de estudar em livros.
era de pegar de apalpar de ouvir e de outros sentidos.
Seria um saber primordial?
Nossas palavras se ajuntavam uma na outra por amor e não por sintaxe.”

Menininho, Gabriela Romeu e Elisa Carareto.


Nesta poética história, acompanhamos o menino e o passarinho, cada um construindo algo, trabalhando juntos. Gabriela Romeu é conhecida por dar ênfase nas vivências infantis, principalmente nas que retratam a cultura do povo brasileiro.

“Enquanto o passarinho constrói seu ninho, o menininho recolhe do quintal os objetos para criar seus brinquedos. Entre costuras e marteladas, menino e passarinho estão unidos pelo fio da história.”

Um pequeno tratado de brinquedos para meninos quietos, Selma Maria e Anne Vidal.


É um mergulho na infância no sertão mineiro. A autora, uma arte-educadora, observou e nomeou as diversas formas de brincar das crianças da região, como "brinquedo-terra", "brinquedo-bicho", "brinquedo-cor", "brinquedo-brinquedo" e "brinquedo-pensamento". Essas brincadeiras são reunidas no livro, que se transforma em um "brinquedo-livro" para encantar leitores de todas as idades.

“Na folha o camaleão desaparece
e no tomate vermelho
No verde a lagarta se esconde
e surge no buraco da fruta do conde"

Um pequeno tratado de brinquedos para meninos quietos da cidade , Selma Maria e Nina Anderson.


É um livro que aborda a infância nas áreas urbanas, oferecendo uma visão sobre como as crianças podem encontrar beleza e diversão em meio ao ritmo agitado da cidade. A autora compartilha sua percepção sobre os brinquedos que podem cativar a imaginação das crianças urbanas e incentivá-las a explorar o ambiente de maneira criativa.

“Na faixa de pedestre, o menino se esticava inteiro para tocar só nas faixas brancas.
A mãe, apressada, não prestou atenção na música que saía daquele piano.”

Com qual penteado eu vou? Kiusam de Oliveira e Rodrigo Andrade.


Seu Benedito está comemorando o seu 100° aniversário, seus netos - que não têm dinheiro, pois são crianças - têm a ideia de presenteá-lo cada um com uma virtude e cada um com um penteado diferente, assim, em cada página vemos o nome de uma criança com seu significado, seu penteado e sua bênção ao Sr. Benedito.

“Eu sou Zuri (Significa “Linda, bonita” em Sualí. Origem: Africana Oriental)
A humanidade toda me interessa
Ao meu bisa, minha criatividade
Virtude potente que num gesto se expressa

Crianças Como Você, Barnabas Kindersley e Anabel Kinderley.


"Crianças Como Você" é uma série de livros escrita por diversos autores que visa retratar a diversidade e as experiências de crianças ao redor do mundo. Cada livro da série se concentra em diversas crianças de nacionalidades distintas. Este livro também faz parte do projeto pedagógico da escola, e foi trabalhado no segundo ano do ensino fundamental!

‘Acho que o melhor de ser criança é receber muito amor da família” Michael, Israel.
“Gosto de viver perto do rio - quero ficar aqui o resto da vida. Adoro a floresta e fico triste quando as pessoas derrubam as árvores” Celina, Brasil.

Ao explorar essas histórias, somos lembrados de que a infância é um período de descobertas, criatividade e curiosidade, e que cada criança é uma fonte de alegria, inspiração e potencial. As diferenças culturais, as tradições e os cenários geográficos enriquecem a infância, tornando-a ainda mais rica e colorida.

Nessas páginas, encontramos heróis, brinquedos inventados, passarinhos, menininhos, meninos do mato, meninos da cidade e crianças de diversas nacionalidades, cada um com sua própria história para contar.

Cada livro nos lembra da importância de valorizar e apreciar a singularidade de cada criança e o papel essencial que desempenhamos em garantir que elas cresçam felizes e com amor. Retornamos assim à frase do início: “A melhor maneira de tornar as crianças boas é torná-las felizes.”

83 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page