top of page
  • Foto do escritorGabriela Traversim

A negritude presente na literatura infantil

A relevância da literatura infantil na constituição do indivíduo já foi discutida inúmeras vezes por diversos autores e teóricos sobre o assunto. A representação de diversidade é um dos fatores que aproxima leitores de obras literárias, já que se sentir representado a partir de personagens e histórias, faz com que os laços afetivos com a literatura sejam estreitados. Hoje, em celebração ao mês da consciência negra, vamos falar de obras da literatura infantojuvenil que trazem a representatividade negra como pano de fundo de suas histórias e são marcos de conquista e afirmação da negritude na literatura infantil, sobretudo na brasileira. 


A importância de celebrar o cabelo afro na infância

Algumas obras recentes de literatura infantil focam nessa perspectiva da representatividade do cabelo afro entre as crianças, na intenção de valorizar as diferentes curvaturas capilares e quebrar com os estereótipos negativos a respeito dos cabelos afro. O livro Com qual penteado eu vou?, escrito por  Kiusam de Oliveira e ilustrado por Rodrigo Andrade, a família vai comemorar os 100 anos do patriarca da família, o Seu Benedito e seus netos e bisnetos irão festejar e celebrá-lo com penteados lindos para a comemoração. 


Capa do livro Com qual penteado eu vou?  Uma menina negra, com cabelos cacheados e uma blusa azul em um fundo amarelo, com uma expressão de dúvida.

A Joana Gabriela Mendes e a Mari Santos, com as ilustrações de Flávia Borges, criaram um Manual de Penteados para Crianças Negras! Esse material é riquíssimo em informações para entender sobre as curvaturas dos cabelos, diferentes texturas, técnicas de modelagem dos cachos e cortes que os favorecem. É uma ótima leitura para papais e mamães que gostam deste assunto e querem ampliar seus conhecimentos nos cuidados das madeixas. 

Capa do livro Manual de penteados para Crianças Negras: quatro crianças negras com diferentes curvaturas de cachosCapa do livro Manual de penteados para Crianças Negras: quatro crianças negras com diferentes curvaturas de cachos ilustram a capa de fundo laranja. ilustram a capa de fundo laranja.

O livro Amor de cabelo, de Matthew A. Cherry e ilustrado Vasthi Harrison, é um livro estrangeiro de um autor norte-americano, mas tem tanta importância quanto os outros citados. Na história, uma menina e seu pai descobrem juntos que a relação de aceitação do próprio cabelo começa em casa, junto dos familiares e das pessoas que gostamos. É muito importante para as crianças verem o exemplo, através dos adultos. 


Capa do livro Amor de Cabelo, uma menina negra está sobre os ombros de um homem negro, seu pai e se olham com ternura.

Biografias de personalidades negras

Falar sobre pessoas e seus feitos é muito importante para construirmos relações de exemplo e de admiração, ainda mais quando estas pessoas foram importantes para a humanidade através de seus feitos artísticos, políticos, sociais e humanitários. Algumas coleções de biografias retratam personalidades negras que foram pioneiras e extremamente relevantes em suas áreas, como o livro Nina, de Traci N. Todd e com ilustrações de Christian Robinson, que conta a icônica musicista Nina Simone. 


Capa do livro Nina, uma biografia e Nina Simone. A ilustração é de uma mulher negra de perfil, com brincos grandes, cabelo em coque e com enfeite, sobre um fundo cor de rosa.

A Editora Mostarda é especialista em biografias de personalidades negras e indígenas e tem uma ampla seleção de títulos: Alice Walker, Carolina Maria de Jesus, Barack Obama, Nelson Mandela, Conceição Evaristo, Martin Luther King, Júlio Emílio Braz e muitos outros. 


A cultura afro-brasileira

Nossas raízes culturais são carregadas de heranças de diversos lugares diferentes e reconhecê-las, valorizá-las e respeitá-las é nosso dever. Alguns livros apresentam estes aspectos culturais dessa conexão Brasil-África, como é o caso do Feijoada, escrito por Sonia Rosa e ilustrado por Rosinha Campos. Essa iguaria que foi trazida pelos Portugueses, foi adotada pelos escravos que adicionaram outros complementos ao prato, como a couve, a farofa e as laranjas. O livro O que há de África em nós, escrito pelos autores Walter Fraga e Wlamyra R. de Albuquerque e ilustrado por Pablo Mayer, também traz aspectos histórico-culturais dos povos africanos para o Brasil. O historiador Reginaldo Prandi escreveu um livro que aborda mitos iorubás, que viraram histórias afro-brasileiras preservadas pela tradição oral, intitulado: Os príncipes do destino: histórias da mitologia afro-brasileira.



E que boa parte do nosso vocabulário em português foi construído a partir de palavras de origens africanas, nós sabemos, mas esse recorte tem muita história por trás e que merece ser olhada com muita atenção e respeito. No livro ABC Afro-brasileiro, Carolina Cunha selecionou verbetes de origem africana e, com suas ilustrações que enriquecem a experiência de leitura, nos conta parte dessa história ancestral. 


Capa do livro ABC Afro-brasileiro. Sobre um fundo branco, uma ilustração colorida carregada de motivos africanos contextualizam a obra.

A literatura infantil desempenha um papel fundamental na formação do indivíduo, contribuindo na construção da sua identidade e influenciando percepções desde a tenra idade. Neste contexto, a representatividade negra emerge como um elemento-chave, estreitando os laços afetivos entre os leitores e as obras literárias. Especialmente neste mês, mas não nos esqueçamos dos outros onze, é imperativo destacar a importância de obras que colocam a diversidade como pano de fundo, celebrando a negritude na literatura infantojuvenil, especialmente no cenário brasileiro. Todos os livros, citados neste texto, estão disponíveis no acervo da nossa biblioteca. Temos outros livros, tão bons quanto, que são semelhantes nos temas e com certeza serão leituras interessantes e inspiradoras! Veja no carrossel de imagens: 




28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page