• Gabriela Traversim

Um jovem olhar sobre o passado

O texto do nosso blog essa semana é uma celebração, escrita por Gabriela Traversim Constantino, em homenagem aos alunos do 7° ano, que ficaram entre os dez finalistas do concurso “Releituras da Memória”. A competição, organizada pela Árvore Livros, teve mais de 300 trabalhos inscritos de todo o Brasil, e nossos estudantes receberam uma menção honrosa. No blog, Gabriela, que é Gestora da Biblioteca do Colégio Uirapuru e também licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de São Carlos, campus Sorocaba, conta um pouco do processo criativo dos alunos.



A plataforma Árvore Livros realizou um concurso chamado “Releituras da Memória", com o objetivo de incentivar a leitura e lançar novos olhares para as identidades negra e indígena. No dia 08 de junho, aconteceu a live de premiação dos vencedores. Os alunos do 7° ano, que estavam concorrendo ao prêmio, receberam uma menção honrosa.


Todas as turmas de 7° ano leram a obra “O apanhador de nuvens: uma aventura no país Dogon” - dos autores franceses Béka e Mako, com ilustrações de Emmanuel Pinchon, livro que está disponível para a leitura na plataforma Árvore Livros -, e levantaram ideias para uma Fanfic (ficção escrita por fãs) que foi construída por um grupo representante.

O grupo, formado pelos alunos Antônio de Luna Neto, Catharina Ronzani, Joaquim Ferreira, Luísa Ribeiro e Pedro Pegoretti, foi responsável pela obra “O apanhador de memórias”, uma Fanfic em formato de história em quadrinhos baseada na obra de Béka e Mako. Com o apoio das professoras Gabriela Monteferrante (Projetos), Marina Tranquilin (Artes) e Teresa Tezolini (Português), os alunos elaboraram a ficção que concorreu com mais de 300 trabalhos de leitores de todo o país.

Fanfic é um gênero muito comum entre os jovens na internet. É uma maneira que muitos encontram para mergulhar nas aventuras de livros pelos quais se apaixonaram, sob a perspectiva de um outro fá, com os personagens de um universo já criado. Além disso, permite que os leitores se aproximem da escrita literária quando são eles, os fãs, que produzem as histórias. Há anos, este gênero literário tem aproximado jovens leitores da literatura e dos livros, por meio de uma linguagem acessível e jovial. Outras mídias também caíram no gosto da Fanfic: séries, filmes, músicas, entre outras, podem servir como base para a criação de novas histórias.


Como coordenadora e professora da turma me sinto muito orgulhosa, não apenas do resultado, mas do processo completo! O Projeto cumpriu o seu maior objetivo que é, a partir da leitura e da escrita, valorizar e disseminar a rica cultura afro-brasileira.Gabriela Monteferrante, Professora de Projetos e coordenadora do Fundamental II.


Os alunos, enviaram relatos sobre como foi o processo de construção da Fanfic. Neste momento que estamos vivendo, os estudantes encontraram acolhimento e afeto, em um trabalho que os aproximou enquanto colegas, além de aprenderem mais sobre a cultura africana:


"Eu gostei muito da parte que todos trabalhavam juntos e trocavam ideias. Eu gostaria de vivenciar isso novamente, me senti muito feliz quando recebi a menção honrosa porque eram mais de 300 escolas participando e eu pude aproveitar essa oportunidade incrível." Pedro Pegoretti Sorgon, aluno do 7ºB.


"Essa foi uma das primeiras, de muitas experiências marcantes que vou ter aqui no Colégio. As diversidades criativas, as ideias, a construção dos quadrinhos, o roteiro, cada desenho feito com carinho e capricho, falas pensadas em cada cena e claro, a ajuda das professoras, nos levaram ao resultado final dessa Fanfic. Cada momento de empenho e esforço é recompensado ao receber a notícia de estar entre as 10 melhores fanfics do país. Sem esse belo grupo que temos nada disso seria possível." Antônio de Luna Neto, aluno do 7ºD.


"Eu me senti muito feliz, pois todo mundo trabalhou em grupo e ajudou, e o principal é que foi muito divertido montar, criar e planejar as coisas!" Catharina Ronzani, aluna do 7ºC.


"Eu gostei muito do nosso trabalho em grupo e na hora da produção, de desenhar alguns elementos da história à mão, foi incrível! Me senti muito contente ao receber a menção honrosa." Luísa Ribeiro, aluna do 7ºC.


"Na minha opinião, a melhor parte do projeto foi ter trabalhado com pessoas que eu não conhecia e do resultado final. Quando estávamos criando a HQ todos ajudaram muito dando ideias. Eu me senti incrível, quando recebemos a menção honrosa." Joaquim Ferreira, aluna do 7ºB.

A escrita é um processo criativo muito cultivado dentro do Colégio Uirapuru, por meio de diversas ações, dentro e fora da sala de aula. Atrelada à leitura, é um processo cognitivo importante para a sociedade e uma linguagem que traduz em palavras, sentimentos, culturas, afetos e aprendizados. Este projeto foi um sopro de alegria para os estudantes, professores e para a comunidade escolar. A professora Marina Tranquilin relatou que o projeto começou com a leitura do livro por todos os alunos do 7° ano, na disciplina de Projetos, da professora Gabriela. Após essa etapa, um edital foi aberto na Árvore Livros, para os alunos que se interessaram em construir uma fanfic em HQ, a partir do livro:

“Foi assim que formamos um grupo, eu, Marina (Arte), Gabriela Monteferrante (Projeto) e Maria Teresa (Português). Com o grupo de alunos e professoras, realizamos cinco encontros. No primeiro, houve o momento de diálogo e construção da história (texto). No segundo encontro, finalizamos a história e começamos a pensar como transformar o texto verbal em uma História em Quadrinhos. No terceiro, quarto e quinto encontros, criamos a Fanfic em HQ. Para isso, utilizamos o programa storyboardthat.com. Os alunos também desenharam elementos que foram editados no programa pixrl.com e inseridos na história”.

Ainda segundo a professora Marina, “o processo criativo foi muito gratificante. Ver o envolvimento dos alunos, o interesse, as descobertas, as reflexões. Tudo se tornou muito significativo e o tema da cultura afro-brasileira é muito importante e precisa de representatividade. Realizar um projeto como esse e contribuir para tal visibilidade foi um presente, tanto para os professores como para os alunos envolvidos.”

O projeto, feito por alunos e professores da escola, nos encheu de orgulho e satisfação: por saber que estamos no caminho certo, trazendo pautas relevantes para a sociedade, produzindo arte e cultura, de uma forma leve e cheia de significado e preparando nossos alunos para uma cidadania ativa. A menção honrosa veio para validar esse trabalho e coroar o empenho dos estudantes.

Parabéns 7º ano, vocês merecem!


gif

190 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo