top of page
  • Dayan Marchini

Rã(inha), A rainha das rãs

“Era uma vez um lago, e nesse lago havia rãs. Rãs que passavam os dias fazendo coisas de rãs: saltavam e apanhavam moscas, cochilavam depois do almoço, brincavam com as libélulas”... Mas é claro que não poderia ser só isso, porque com monotonia não se faz história, não é mesmo?



Escrito por Davide Cali, “A Rainha das Rãs Não Pode Molhar os Pés” conta a história de um grupo de rãs que vive sua vida normalmente, até que algo inusitado acontece: um objeto misterioso cai no lago e, na curiosidade por descobrir do que se tratava, todas começam a procurar. Então, uma delas aparece com uma coroa na cabeça, para a surpresa das outras que logo exclamaram: “Olhem! É a rainha das rãs!”. Eis, que ganham uma soberana.




Porém, a rã que a princípio não sabia muito bem o que fazia uma monarca, começa a aceitar as sugestões de seus novos súditos, acabando por se tornar autoritária demais. Ela deve dormir bastante e não pode se cansar. Não pode falar com as outras rãs, nem molhar os pés, além de ter direito a uma folha bem espaçosa só para ela. Também come apenas moscas e castiga quem não a obedece imediatamente.


As rãs começam a ficar cansadas e a questionar o porquê daquela situação. Se antes, todas colaboravam umas com as outras e tinham autonomia para realizar suas tarefas essenciais, por que agora uma mandava e as outras seguiam ordens? Mas nada adiantou. Uma conselheira sempre tinha uma resposta na ponta da língua para justificar a hierarquia.


Até que um concurso de saltos no lago foi organizado para divertir a rainha. Saltos dos mais variados foram apresentados, e ela realmente ficou muito contente! Porém, todos queriam ver saltar a realeza, que percebeu não poder recusar. Ela só não imaginava a repercussão que teria seu mergulho e, devo adiantar, que para sua surpresa, não foi das melhores.


Ilustrado por Marco Somà, com um tom retrô que apresenta certo charme, a obra tem um final um tanto quanto inesperado, mas que traz delicadeza, além de provocar para o valor dado às coisas. Você também pode encontrar outros livros do autor em nosso acervo, como “Fico à Espera” e “Meu Pai, O Grande Pirata”.





56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page