• Gabriela Traversim

Livros em que os livros são os protagonistas.


Autoria de Gabriela Traversim Constantino, responsável pela biblioteca do Colégio e apaixonada pelos livros e seu poder transformador. Neste texto, Gabi nos apresenta três livros que expandem a percepção do leitor sobre o que é um livro, em obras em que eles saem dos bastidores e se transformam em estrelas da própria história.


Gostamos muito de utilizar metáforas para falar dos benefícios que o livro nos traz, não é mesmo? “Livros são janelas para o mundo”, “Livros nos aproximam de pessoas que estão do outro lado do mundo…” Difícil dizer o que realmente importa em um livro. Afinal, cada livro nos leva por uma viagem diferente. E, dependendo de quantas viagens já fizemos, aproveitamos mais ou menos a aventura. Selecionei três títulos curiosos, nos quais os livros são mais do que meros suportes para os textos e as informações: eles são os protagonistas das histórias.


Livros! Escrito por Murray McCain e Ilustrado John Alcorn. Publicado pela Pequena Zahar, 2014. Trad. de Rodrigo Lacerda e Mauro Gaspar.


Este pequeno livrinho pode parecer insignificante, principalmente pelo seu tamanho reduzido, quando o olhamos na estante, mas seu conteúdo extrapola os limites da magnitude literária. Murray McCain aborda o livro em sua infinitude, enquanto mediador do conhecimento e da literatura, para além de sua existência física. Uma obra infantil, muito bem ilustrada por John Alcorn, com uma linguagem bem próxima da realidade das crianças e que nos faz perceber que um livro é mais do que papel, tinta, cola e costura, basta o leitor olhá-lo com olhos diferentes. Além do autor quebrar os limites de leitor e objeto livro, as interações propostas permitem que as crianças se abram para as diferentes possibilidades que os livros trazem para a vida.


Se eu fosse um livro, escrito por José Jorge Letria e André Letria. Publicado pela editora Globinho, 2013.

Os portugueses, José Jorge e André Letria, neste livro, colocam o leitor sob a perspectiva de como é ser um livro. “Se eu fosse um livro” é uma brincadeira entre texto e imagem, que joga com as emoções do leitor e do autor, do livro e da literatura, ao longo de suas páginas.

O leitor e o livro, que são os personagens principais da história, assumem diversos papéis, inspirados na realidade de muitos leitores mundo afora.


Quero ler meu livro, escrito por Koen Van Biesen. Publicado pela editora Pulo do Gato, 2017.

Já em “Quero ler meu livro”, Koen Van Biesen transforma o enorme problema de um vizinho, que tenta ler seu livro silenciosamente, enquanto sua pequena vizinha experimenta diversas brincadeiras barulhentas, numa solução para a aproximação de ambos: a leitura. O livro aqui tem o papel de ser o apaziguador de uma situação que seria insustentável, se não houvesse sabedoria, paciência e muito amor pela literatura. As ilustrações brincam com a realidade e são uma diversão à parte.


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo